Wellington Dias com Gleisi Hoffman, na visita ao Piauí (Foto: Vitor Sousa/Portal O Estado)

Calma, não estou criticando o Partido dos Trabalhadores, tampouco vou aqui fazer retaliações ao modo que “fazem política”, ou ser “puxa saco”. As observações são apenas quanto a um dos melhores planejamentos de marketing que já vi, com base na visita da senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, ao Piauí, neste sábado (11/08), mais especificamente na sua passagem pela Vila Irmã Dulce.

10 DE JANEIRO DE 2003

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acompanhado da primeira-dama, Marisa Letícia, e de 30 integrantes de sua equipe de governo já desembarcaram no aeroporto de Teresina (PI) e se dirigem para a Vila Irmã Dulce, primeiro ponto da viagem que Lula empreende para mostrar a seus subordinados exemplos da miséria no país.

A Vila Irmã Dulce, que fica a 15 km do centro da capital, é considerada a segunda maior favela fruto de ocupação irregular de toda a América Latina. Ali, Lula é esperado por cerca de 3.500 pessoas diante do palanque construído para recebê-lo. No total, há a expectativa de que 35 mil pessoas apareçam no local.”.

Assim a Folha de São Paulo noticiava a chegada de Lula ao Piauí em janeiro de 2003, dez dias após tomar posse como novo Presidente da República. Um ato que repercutiria por anos e que marcaria a vida de muitas pessoas daquele lugar.

11 DE AGOSTO DE 2018

Um exemplo? A jovem Marina, hoje presidente da Juventude Petista no Piauí. Foi repetindo várias vezes a frase “não vou chorar”, mas já com os olhos marejados, que ela contou a história do presidente eleito que veio ao Piauí fazer a promessa de que ela teria uma casa digna para morar – e segundo ela, promessa que foi cumprida meses depois, graças ao PSH (Programa de Subsídio a Habitação).

“Nossa história com o Lula vai começar mais ou menos assim, com a palavra gratidão. Porque é isso que a Vila Irmã Dulce tem por Lula. Gratidão por um cara sair do Nordeste, virar presidente e, com dez dias do seu mandato, depois de eleito, decidir vir aqui, visitar a Vila Irmã Dulce. Quando ele veio pra cá, acompanhado do governador Wellington Dias, disse que seu primeiro passo seria dar pra gente moradia digna” contou Marina, quase sempre levando as mãos aos olhos.

Marina, presidente da Juventude Petista do Piauí se emociona ao falar de Lula (Foto: Vitor Sousa/Portal O Estado)

Se passaram 15 anos e a atitude de Lula ainda não foi esquecida. O depoimento de Marina vai ser usado na campanha, garantiu Gleisi assim que pegou o microfone. “Seu depoimento foi lindo, Marina. Com certeza fará parte das nossas redes sociais”.

A senadora também fez questão de enfatizar que contou a Lula que viria ao Piauí, ao lugar onde ele foi no início de seu mandato, em 2003. “Falei que a gente vinha aqui visitar a Vila Irmã Dulce. Ele encheu o olho de lágrima. Disse assim: 'fui lá quando tinha dez dias de governo'. E me contou um pouco da história, do que significou a vinda dele e dos ministros. Essa é a cabeça do Lula, e isso diz muito sobre a pessoa que ele é”.

“SE DEPENDESSE DO PIAUÍ, LULA SERIA ELEITO NO PRIMEIRO TURNO”

Luís Inácio Lula da Silva, o ex-presidente Lula, está preso em uma carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, desde o dia 07 de abril de 2018. Mesmo assim, o Partido dos Trabalhadores persiste que ele será o candidato da sigla, com Fernando Haddad, ex-governador de São Paulo como seu vice.

Haddad também viria ao Piauí, mas segundo petistas, teve que ficar resolvendo questões sobre sua candidatura a vice.

Mesmo não estando em liberdade, de acordo com o deputado federal e candidato a senador Marcelo Castro (MDB), que também participou do ato, pesquisas recentes feitas no Piauí mostram que Lula tem mais de 70% das intenções de voto.

NÃO EXISTE “PLANO B”

Petistas reunidos na Vila Irmã Dulce (Foto: Vitor Sousa/Portal O Estado)

Talvez isso explique o discurso dos petistas de que não há outra alternativa que não seja lançar o ex-presidente como candidato.

“O Fernando Haddad não pôde vir porque teve que ficar para registrar a sua candidatura, providenciar documentação. A Gleisi está aqui e minha avaliação é que ela traz um grande ânimo para a nossa militância e para os nossos aliados nesse começo de preparação para a campanha”, disse Merlong Solano, deputado federal petista, que foi secretário de governo de Wellington Dias por mais de três anos, durante o mandato vigente.

Ele disse que a visita não se trata de uma prévia para avaliar se Haddad poderia substituir Lula em uma eventual mudança de planos caso Lula venha mesmo a ser impedido de disputar a presidência, como suspeitam alguns analistas políticos.

“O PT vai registrar o Lula para [candidato a] presidente, mas ele está preso. Nós temos que seguir a própria determinação dele. Temos que ser sua voz e as suas pernas caminhando pelo Brasil. Então o Haddad e a Gleisi estão cumprindo uma orientação do próprio presidente”, completou.

UM PLANO DE MARKETING QUASE PERFEITO

Ao ler tudo isso, você pode estar se perguntando: “mas esse cara não ia falar das ações de marketing? Até agora não vi nada sobre isso”. Exatamente, meus amigos. Percebam o quão bom é esse marketing, que até faz parecer tudo espontâneo.

Aqui no Brasil, as pessoas ainda têm receio de expor suas estratégias de marketing, diferente de alguns países em que ele já assume um papel de protagonismo, inclusive. Mas note como todo o discurso do Partido dos Trabalhadores é voltado para o lado emocional. Note como a figura de Lula ainda é tida como o “pai dos pobres”, do homem que luta por injustiças, ainda mais estando “preso injustamente”, como muitos dizem.

“O bom marketing não tenta te vender um produto, ele cria a necessidade de consumo do mesmo”. Não lembro onde vi essa frase, mas ela resume bem tudo isso. E como disse, não é uma crítica ao modelo de “fazer política” do PT, muito menos a qualquer um de seus candidatos. Não é uma forma de “puxar saco”. Apesar das opiniões e observações no texto, trata-se exclusivamente de uma avaliação sobre como se cria nas pessoas a necessidade de que o partido se mantenha como algo essencial para elas, de tal forma para que em todo caso, elas votem no Lula, mesmo que não venha a ser ele o candidato.

Ah, e só para arrematar, dá uma olhada nesse clipe do jingle de Lula. Diz se ele não tá afinadinho com todo o discurso apresentado?!


Dê sua opinião:

Tags