O impasse quanto a permanência do vereador Dr. Lázaro no Cidadania, antigo PPS, já vem se arrastando há algum tempo. A diretoria do partido alega que o vereador não fará mais parte de seus quadros para o pleito do próximo ano, entretanto, o vereador defende que não deseja sair do partido, e que tem o apoio da nacional para permanecer.

Vereador Dr. Lázaro Carvalho (Foto: Vitor Sousa/Portal O Estado)

Recentemente, Dr. Lázaro e Celso Henrique, presidente estadual do partido, deram declarações à Rádio Clube, e reforçaram sua opiniões. 

"Eu acredito que o presidente [nacional] do Cidadania, deputado Robert Freire, que tem uma história dentro da política nacional, respeitabilíssima, e que representa muito bem o nosso partido, não é uma pessoa de duas palavras. Eu fui à Brasília, ele me garantiu que a nacional não compactua com essa política de estabelecer limite de votos, de tirar um vereador [da disputa] porque tem uma maior votação, para alguém que tenha uma menor votação tenha uma oportunidade porque tem o sonho de ser vereador", disse Dr. Lázaro, em entrevista à rádio.

Após as declarações do vereador, o presidente estadual do Cidadania rebateu seu argumento. "O que ocorre é que o vereador Lázaro, se distanciou do partido desde a sua eleição. Se fechou em copa, não chamou nem o suplente para dentro da sua estrutura.Deu problemas para a gente já em 2016, quando tínhamos um candidato a prefeito e nós descobrimos que ele estava pedindo voto para outro. No ano de 2018 ele nos procurou dizendo que queria ser candidato e nós abrimos as portas para ele. Só que ele só votou nele mesmo. Não pediu voto para o candidato a federal do partido, não pediu voto para o candidato a governador. Então uma pessoa dessa só pensa nele", declarou Celso.

Dê sua opinião:

Tags