A igreja católica foi a primeira instituição a acolher os imigrantes venezuelanos em Teresina, através Pastoral do Povo de Rua, Pastoral do Migrante e Cáritas Teresina, que faz o acompanhamento junto aos órgãos públicos, incluindo Ministério Público e Polícia Federal, para assegurar a legitimidade desse acolhimento.

Atualmente, as famílias estão alojadas em espaços cedidos pelos órgãos públicos. Das centenas de pessoas acolhidas, 80 são crianças, que estão sendo alfabetizadas e catequisadas pela irmã Franciscana Arli Sousa.

“Eles já conhecem o letramento, sabem de algumas coisas básicas. Além da educação, eles precisam de fraldas e de remédio. Eles são nossos irmãos e precisam da nossa colaboração, não só das instituições públicas, pois acredito que somando forças nas grandes parcerias, podemos garantir uma melhor sobrevivência para eles”, declara a irmã.

Pensando nas necessidades pontuais, algumas paróquias da Arquidiocese também estão se mobilizando para ajudar os venezuelanos. “Devemos colaborar não só no período de natal. Estamos pedindo que adotem uma criança pois precisamos fazer pontes, quebrar as barreiras e  os muros. Os venezuelanos tem mais de 25 mil anos de história, e queremos que eles se sintam bem acolhidos em Teresina”, comenta padre Antônio Cruz, pároco da Paróquia de Lourdes, bairro Vermelha.

As paróquias, grupos e movimentos que desejarem ajudar os Venezuelanos devem procurar a Cáritas Teresina. “Aceitamos doações em alimentos, material de limpeza e dinheiro. Estamos disponíveis através do centro pastoral Paulo VI ou através do nosso número”, pontua Lucineide Rodrigues, coordenadora da Cáritas Teresina.

Por serem imigrantes de cultura não urbana (índios), a alimentação fica restrita a peixe, frango, macaxeira, batata doce, banana, trigo, leite, açúcar e óleo. Qualquer alimento fora desses insumos pode provocar problemas digestivos ou outras complicações na saúde deles.

A conta para doações em dinheiro é: Ag 0044-2,  c/c 309.220-8, Banco do Brasil, em nome da Cáritas Teresina. Para mais informações sobre o acolhimento aos venezuelanos em Teresina, condições de alojamento e como estão vivendo na capital do Piauí, a Cáritas disponibiliza o número (86) 99972-0911.

Dê sua opinião:

Tags