No dia 28 de setembro os Cinemas Teresina recebem o Festival VerOuvindo e a Sessão Alumiar com exibição de filmes em uma sessão especial acessível para surdos e cegos. O festival terá entrada gratuita e as exibições acontecem às 11h.

A iniciativa é uma parceria dos Cinemas Teresina com o Festival VerOuvindo e o Projeto Alumiar realizado pelo Cinema da Fundação Joaquim Nabuco, ambos de Recife (PE). Também contribuíram para a exibição na capital do Piauí, a Universidade Federal do Piauí, campus de Parnaíba e as organizações de surdos das cidades de Parnaíba e Teresina.

Em Recife o evento acontece desde 2014. O Festival é incentivado pelo Funcultura, edital de cultura do Estado de Pernambuco. O VerOuvindo trabalha em três eixos: produção de acessibilidade para os filmes (Audiodescrição, Libras e LSE), com a formação de profissionais da acessibilidade e audiovisual e do público com deficiência. “O objetivo é incluir as pessoas com deficiência sensorial no cinema, criar um espaço para que as pessoas cegas ou com baixa visão possam ver um filme com audiodescrição e que pessoas surdas possam ver filmes com janela de Libras e com legenda para surdos e ensurdecidos. Toda a programação é gratuita”, explica Túlio Rodrigues, produtor do Festival VerOuvindo e da Sessão Alumiar em Recife.

Já a Sessão Alumiar de Cinema Acessível é um projeto realizado pelo Cinema da Fundação Joaquim Nabuco/Ministério da Educação. Desde 2017, o projeto já tornou acessível 21 longas brasileiros, com audiodescrição, Libras e LSE e já levou ao cinema quase 3mil pessoas, entre pessoas com e sem deficiência.

O Festival VerOuvindo já esteve em algumas cidades brasileiras como Garanhuns, Orobó, Vitória de Santo Antão, São Paulo, Florianópolis, Goiana, e agora, pela primeira ver, em Teresina, junto com a Sessão Alumiar, que terá sua primeira exibição fora de Pernambuco.

A realização do festival também tem o objetivo comemorar o Dia Nacional do Surdo, celebrado dia 26 de setembro em todo o país. “Como agora, no dia 26 de setembro, comemoramos o Dia Nacional do Surdo, e também é um momento em que as salas de cinema, por conta de uma resolução da Ancine, estão se adaptando para receber equipamentos de acessibilidade, propomos para os Cinemas levar filmes com libras, legenda e áudiodescrição. Estamos muito felizes que o Cinemas Teresina abraçou essa iniciativa. Será um grande momento para o Piauí, para que possamos pensar daqui para frente em um cinema acessível para todos”, disse Anderson Almeida da Silva, professor de libras na UFPI campus Parnaíba e um dos responsáveis pelo projeto em Teresina.

No Festival serão exibidos os filmes ‘Catimbau’ e ‘Viajo porque preciso, volto porque te amo’, com tradução para libras, legendas para surdos e ensurdecidos e áudiodescrição para cegos. “A sessão é dedicada para todos, podem ir pessoas videntes, pessoas cegas, pessoas ouvintes, pessoas surdas. Nosso objetivo é que quem precisa, tenha acesso gratuito, e quem não precisa possa também gratuitamente compreender como o universo da sétima arte chega às pessoas que possuem esse tipo de deficiência. O fato é que os filmes vão estar completamente acessíveis para todo o público”, revelou Douglas Machado, curador dos Cinemas Teresina.

Acessibilidade

Até janeiro de 2020, todas as salas de cinema do Brasil serão obrigadas, sob pena de multa, a oferecer aparelhos de acessibilidade para deficientes visuais e auditivos. A determinação está na Instrução Normativa 128/2016, da Agência Nacional do Cinema (Ancine). Todas as salas deverão oferecer os recursos de legendagem, legendagem descritiva, áudiodescrição e Língua Brasileira de Sinais (Libras). 

As exigências de acessibilidade para o setor de cinema no Brasil começaram em 2014, com a obrigatoriedade de todos os filmes produzidos com recursos públicos oferecerem os recursos para audiência de cegos e surdos. E desde 16 de junho de 2019 todos os filmes, inclusive estrangeiros, já estavam adaptados.

Dê sua opinião:

Tags